COMO LIDAR COM FRACOS NA FÉ, ESCÂNDALOS E DIFERENÇAS TEOLÓGICAS

↓↓↓↓↓ BIBLIOGRAFIAS, FONTES E LINKS ABAIXO ↓↓↓↓↓

—–
ACESSE O SITE: https://doisdedosdeteologia.com.br/pa…
—–

+ CITADOS
– “Quanto à carne sacrificada aos ídolos, sabemos que todos temos conhecimento. O conhecimento dá ocasião à arrogância, mas o amor edifica. Se alguém supõe conhecer alguma coisa, ainda não conhece até o ponto em que é necessário conhecer. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido por ele. Portanto, quanto ao comer da carne sacrificada aos ídolos, sabemos que o ídolo no mundo não é nada, e não há outro Deus, senão um só. Pois, ainda que existam os supostos deuses, seja no céu, seja na terra (assim como há muitos deuses e muitos senhores); no entanto, para nós há um só Deus, o Pai, de quem todas as coisas procedem e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual todas as coisas existem e por meio de quem também existimos. Entretanto, nem todos têm esse conhecimento. Há alguns que, acostumados até agora com o ídolo, quando comem da carne sacrificada ao ídolo se contaminam, pois têm a consciência fraca. Contudo, não é a comida que nos recomendará a Deus; pois não ficaremos piores se não comermos, nem melhores se comermos. Mas, cuidado para que essa vossa liberdade não se torne em motivo de tropeço para os fracos. Porque, se alguém vir a ti, que tens conhecimento, comendo à mesa no templo de ídolos, não será ele incentivado, por ter a consciência fraca, a comer da carne sacrificada aos ídolos? Assim, o fraco, teu irmão, por quem Cristo morreu, é destruído pelo teu conhecimento. Pecando dessa forma contra os irmãos e ferindo-lhes a consciência fraca, pecais contra Cristo. É por isso que, se a comida fizer meu irmão tropeçar, nunca mais comerei carne, para não lhe servir de tropeço.” (1Coríntios 8.1-13)
– “Acolhei o fraco na fé, mas não para debater opiniões. Um crê que pode comer de tudo, e outro, que é fraco, come só verduras e legumes. Quem come não despreze quem não come; e quem não come não julgue quem come; pois Deus o acolheu. Quem és tu, que julgas o servo alheio? É para seu próprio senhor que ele está em pé ou cai; mas estará firme, pois o Senhor é poderoso para o firmar. Uma pessoa considera um dia mais importante do que outro, mas outra julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente convicto em sua mente. Aquele que observa um dia, para o Senhor o faz. E quem come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e quem não come, para o Senhor deixa de comer, e dá graças a Deus. Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum de nós morre para si. Pois, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De modo que, quer vivamos, quer morramos, somos do Senhor. Porque foi com este propósito que Cristo morreu e tornou a viver: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos. Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus. Porque está escrito: Juro por minha vida, diz o Senhor, todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus. Assim, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” (Romanos 14.1-12)
– “Não respondas ao insensato de acordo com a sua insensatez, para que não sejas semelhante a ele. Responde ao insensato conforme merece a sua insensatez, para que ele não seja sábio aos próprios olhos.” (Provérbios 26.4-5)

+ PARA APROFUNDAR:
– “Pecado: Intenção, ação e reação”: https://youtu.be/6UQOlHnvQRE
– “Unidade na diversidade”, de Darrell L. Bock